Lembrar de Mim

BioSafe (Universidades)

Blog relacionado ao programa de palestras nas universidades da Biosafe

Fev 08
2011

9 fatos importantes sobre a Segurança de alimentos

Postado por: biosafeadmin em Artigos e Notícias

A Segurança de alimentos é uma prioridade de Saúde Pública. Todos os anos milhões de pessoas adoecem e muitas até morrem após a ingestão de alimentos inseguros (que apresentam contaminantes químicos, físicos e/ou microbiológicos danosos a saúde humana). Cada vez mais estão sendo documentados surtos grave em diversos países, confirma-se assim um aumento significativo das doenças transmitidas por alimentos (DTA). A Organização Mundial da Saúde (OMS) listou as 9 principais preocupações a nível global sobre a segurança de alimentos. 


1.    Os alimentos podem transmitir mais de 200 tipos diferentes de doenças
A cada ano milhões de pessoas ficam doentes e até morrem, após ingerir alimentos inseguros. Considerando apenas as doenças diarreicas, 1,8 milhões de crianças morrem a cada ano após consumirem alimentos ou água contaminados. A preparação adequada dos alimentos pode evitar a maioria dessas doenças.

2.    As doenças transmitidas por alimentos (DTA) estão aumentando em todo mundo
As inúmeras interconexões que existem atualmente nas cadeias de produção dos alimentos fazem com que os patógenos se disseminem amplamente por maiores distâncias. O aumento da urbanização em todo mundo faz com que as pessoas consumam mais alimentos preparados fora de casa, que podem ter sido manipulados de forma inadequada.     

3.    A segurança de alimentos (ou a inocuidade dos alimentos/ food safety) é um problema mundial
A globalização da produção e comércio dos alimentos aumenta a probabilidade de incidentes internacionais com alimentos contaminados. Cada vez mais os países estão consumindo alimentos importados e a tendência é que os sistemas de vigilância dos países (exportadores/importadores) sejam mais reforçados. 

 

4.    Algumas enfermidades emergentes estão ligadas a produção de alimentos
Aproximadamente, 75% das novas doenças infecciosas humanas existentes nos últimos 10 anos são causadas por bactérias, vírus e outros patógenos que surgiram dos animais e/ou produtos derivados. Muitas dessas doenças humanas estão relacionadas com a manipulação de animais domésticos e selvagens durante a produção de alimentos nos mercados e matadouros.

 

 

5.    Redução do risco de gripe aviária
A grande maioria dos casos humanos de gripe aviária (vírus H5N1) foi relato em pessoas que tiveram contato direto com aves infectadas vivas ou mortas. Ainda não se têm provas da transmissão via consumo da carne de ave afetada bem cozida.

 

6.    A prevenção das doenças deve começar no local de produção
A adoção de práticas preventivas para o controle das doenças nos animais pode reduzir as doenças transmitidas por alimentos. Dados da OMS destacam que se ocorrer à redução de 50% das salmoneloses em uma granja de frangos, isso representará a redução em 50% do número de pessoas atingidas por doenças causadas por essa bactéria.


7.    Os alimentos podem ser contaminados com produtos químicos perigosos
Existem diversos tipos de contaminantes químicos alimentares, tais como: elementos tóxicos, poluentes orgânicos persistentes (POP), biotoxinas, agrotóxicos, contaminantes gerados pelo processamento de alimentos, aditivos alimentares, migrantes de embalagens, resíduos de drogas veterinárias, entre outros. De forma geral, a instalação da sintomatologia referente a contaminantes químicos é algo detectado a longo prazo, o que causa uma falsa impressão de não ser um perigo efetivo.

 

8.    Todos nós podemos contribuir para a segurança de alimentos
Os alimentos podem ser contaminados em qualquer etapa da cadeia de produção, inclusive durante o seu consumo. Por isso, todos os participantes dessa cadeia devem garantir a segurança de alimentos.

 

 

 

9.    Siga cinco chaves para melhorar a segurança de alimentos (estabelecida pela OMS)
A OMS destaca a importância da formação dos manipuladores de alimentos e sua responsabilidade no que tange a geração dos alimentos seguros. Para incentivar a prática segura de manipulação dos alimentos, a OMS elaborou 5 chaves que informam atos relevantes e o seu porquê.

Chave 1: Mantenha a limpeza

Chave 2: Separe alimentos crus de alimentos cozinhados

Chave 3: Cozinhe bem os alimentos

Chave 4: Mantenha os alimentos a temperaturas seguras

Chave 5: Use água e matérias-primas seguras

 

Fonte:
WHO, World Health Organization (WHO)

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario

busy

Categorias

Arquivo

Tags

1 12ª SEMEQ 2 200 tipos de doenças 3 4 5 2012 48 milhões 500 milhões de ovos abpvs abril agrotóxicos alemanha alerj alimentos AMIL anvisa apoio AQUACULTURE armazenando atum açougue açúcares bacteriologia bacteriológicos bahia barack bares bioacumulação biomagnificação Biólogos boas práticas bpf brasileiro cadeia alimentar carne carne clandestina carne de siri cartilha casa CBMVHA cdc cefet centenário Centers for Disease Control and Prevention cinco chaves COLIFORM colégio brasileiro de médicos veterinários comer na web comer naweb comerciante compras condições consumidor consumidores contaminantes químicos controle coral coral biosafe cozinhas culturas agrícolas curso curso para responsáveis curso para responsáveis por serviços de alimentaçã cursos cursos alimentos Cynthia A. Rubião câmara dos deputados câmaras de armazenamento código de defesa do consumidor código nacional desenvolvimento sustentável despesas doenças crônicas doenças transmitidas por alimentos dta dta no brasil e.coli ebram elevados índices empresas empresas alimentícias encontro encontro internacional engenharia de alimentos escarnadeiras escherichia coli escola politécnica estagiário estatística dta estágio eventos fda fiscalização fispal flores food and drug administrtion food service fortaleza frutas fórum gastronomia gorduras graduanda gripe aviária grávidas higiene higienistas higienistas de alimentos hortaliças hospitalar hotéis ifrj infecções ingestão de alimentos contaminado inocuidade de alimentos inspeção japão jornada de iniciação kits legislação lei lei da segurança de alimentos lei municipal lei segurança alimentar lei segurança de alimentos local de produção luciana Luiz Rubião maestro malacologia mar hotel maracanã matadouro mercúrio mesas redondas mexilhão microbiologia mini-curso minimamente processado myblog nacional Nodipecten nodosus noel rosa normas sanitárias novas doenças nutricionista nutrição obama oms organismos aquáticos orgânico Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro osrj ostras ovos papel do responsável patrocínio patógenos PERGUNTAS pescado pesticidas peter rembischevski portal meu nutricionista prevenção proaquas processamento produtos químicos programação qualidade quiz química radiação radionuclídeos rdc 24/2010 recall recebimento e armazenamento recife refeição responsabilidade responsável técnico resposnável técnico restaurantes restaurantes cursos resíduos revista revista higiene alimentar roupas limpas Rubião rural sal salmonela salmonella Salvador – BA saúde pública segurança alimentar segurança de alimentos semana semana da engenharia química semáforo seqep serviço de alimentação serviço de inspeção serviços de alimentação sif simpósio Simpósio de Ciência e Tecnologia de Alimentos sintomas super rio expofood supermercado supermercados svs são gonçalo sódio tecnologia de alimentos tecnologia pós-colheita transporte treinamento UFRRJ unhas universidades uso de nanopartículas em alimentos vencedora do quiz veterinária vieira vigilância epidemiológica vigilância sanitária visitar visitar cozinhas vitao was World Aquaculture Society água contaminada área de alimentos

Comentários